Notícias

Consumo total de energia registra queda de 0,8% em janeiro de 2020

Resultado impactado por menor consumo residencial em áreas com temperaturas mais amenas

O volume consumido de energia no mercado consolidado cativo e livre (3.021,9 GWh) das 11 distribuidoras do Grupo Energisa recuou, em janeiro de 2020, 0,8% em relação ao mesmo mês do ano anterior. O consumo no mercado cativo contraiu 1,8%, enquanto no mercado livre cresceu 0,4%. Considerando o fornecimento não faturado, o volume foi de 3.019,8 GWh, o que significa uma queda de 0,5% na mesma base de comparação.

As maiores contribuições ao avanço do consumo de energia no mercado cativo e livre, foram advindas das seguinte concessões: i) EMT, com aumento de 3,4% (24,4 GWh), resultado impactado, principalmente, pelas classes residencial (+7,2% ou 18,2 GWh) e comercial (+1,6% ou 2,3 GWh), ambas influenciadas pelas temperaturas elevadas acima da média; e rural (+6,5% ou 6,0 GWh), motivada pelo maior uso de irrigação na produção de algodão e soja; ii) EPB, com aumento de 2,9% (11,1 GWh), em função das classes residencial (+3,2% ou 5,1 GWh) e comercial (+3,8% ou 2,7 GWh), devido ao baixo volume de chuvas e maior número de dias com temperatura acima da média; iii) ERO, com aumento de 1,2% (3,1 GWh), em função da classe residencial (+2,4% ou 2,6 GWh) e comercial (+2,9% ou 1,6 GWh) e iv) EAC, que apresentou leve crescimento de 1,1% (1,0 GWh), impulsionada também pela classe comercial (+2,1% ou 0,5 GWh) e residencial (+2,4% ou 0,4 GWh), fomentadas pela combinação climática de temperaturas elevadas e menor volume de chuvas.

Na contramão do crescimento do consumo nas demais áreas de concessão do Grupo Energisa, as vendas de energia apresentaram as maiores quedas na EMS, que registrou redução de 4,4% (22,3 GWh) e ESS, com queda de 4,9% (20,0 GWh), ambos os casos em decorrência das temperaturas mais amenas que resultaram no menor consumo pelas classes residencial e comercial. A ESE registrou baixa de 6,2% (16,8 GWh), devido à redução nas atividades industriais do setor de papel e menor base de comparação com a saída de um grande cliente para rede básica. A ETO registrou contração de 1,3% (2,4 GWh), movimento influenciado pela paralisação nas atividades de mineração e abate de animais. Na EMG e ENF a queda foi de 2,9% (3,9 GWh) e 4,3% (1,2 GWh), resultados puxados pelas temperaturas mais amenas no mês de janeiro.

Clique aqui para ler o Boletim de Relações com Investidores, edição de fevereiro de 2020.

Última atualização em 

Close