Energisa

Notícias

Em dezembro de 2019, o volume consumido de energia no mercado consolidado cativo e livre (3.111,9 GWh) mostrou crescimento de 6,6% em relação ao mesmo mês do ano anterior. Considerando o fornecimento não faturado, o volume registrado foi de 3.113,6 GWh, crescimento de 3,2% na mesma base de comparação. Esse desempenho justifica-se, principalmente, pelas altas temperaturas e menor nível de chuva na maioria das concessões.

No mês, a classe residencial registrou aumento de 10,8% (114,3 GWh), influenciada pelo clima e efeito calendário; as concessões que registraram maiores aumentos foram EMT 14,9 (36,5 GWh), EMS 9,2 (15,1 GWh), EPB 9,8% (14,2 GWh), ERO 13,5% (13,2 GWh) e ETO 16,4% (12,5 GWh). A classe comercial apresentou aumento de 5,9% (34,6 GWh), com destaque para os aumentos nas concessões da EMT 6,9% (10,4 GWh), ERO 10,1% (5,6 GWh), EPB 6,5% (4,5 GWh), ETO 12,1% (4,0 GWh), EMS 3,1% (3,1 GWh) e ESE 5,8% (3,0 GWh). O baixo volume de chuvas em várias concessões, comparado ao mesmo período do ano anterior, foi o que impulsionou o crescimento da classe rural em 9,1% (24,5 GWh). A classe industrial teve leve aumento de 0,2%, impactada positivamente pelos ramos alimentícios e de minerais não-metálicos.

O consumo total de energia elétrica (mercado cativo, livre e não faturado) nas áreas de concessão das distribuidoras do Grupo Energisa, no quarto trimestre de 2019 (4T19), atingiu 9.487,5 GWh, o que representa aumento de 3,3% (305,8 GWh) em relação ao mesmo período do ano anterior. O desempenho no trimestre deve-se, principalmente, ao aumento do consumo de energia da classe residencial (+6,7% ou 219,4 GWh), comercial (+4,2% ou 75,7 GWh), ambas favorecidas pelas elevadas temperaturas, acima da média histórica, e rural (+8,5% ou 73,1 GWh), beneficiada pelo baixo índice pluviométrico, que ocasionou aumento na demanda por irrigação, principalmente no cultivo de soja.

O consumo total de energia nas áreas de concessão do Grupo Energisa encerrou 2019 com alta de 4,2% (1.442,1 GWh), com avanço em praticamente todas as classes de consumo, em especial a residencial e comercial, que apresentaram aumento de 6,4% (801,5 GWh) e 4,7% (321,7 GWh), respectivamente. A região Centro-Oeste representou 41,5% do consumo total de energia no ano, seguida pela região Nordeste 22,4%, Norte 18,7% e Sul/Sudeste 17,4%.

Destaque no ano para o consumo total nas áreas das seguintes distribuidoras: EMT (+6,8% ou 589,9 GWh), EMS (+6,3% ou 338,8 GWh), ESS (+4,7% ou 200,0 GWh), EPB (+2,7 ou 115,9 GWh), ETO (+4,3 ou 100,7 GWh), ERO (+3,0% ou 94,0 GWh) e EAC (+4,3 ou 44,9 GWh).

Clique aqui para ler o Boletim de Relações com Investidores, edição de janeiro de 2020.

Última atualização em 10 de março de 2020